Réplica ao João Marcos Theodoro e sua resposta ao meu texto sobre a Ética Argumentativa Hoppeana

Réplica ao João Marcos Theodoro e sua resposta ao meu texto sobre a Ética Argumentativa Hoppeana

Link do meu artigo sobre a Ética Argumentativa Hoppeana:

https://neoiluminismo.com////////2018/03/14/sobre-a-etica-argumentativa-hoppeana/

Link do texto que estou efetuando a réplica:

http://foda-seoestado.com/defendendo-etica-hoppeana-resposta-nairus-lobatev/

http://criticidadevoraz.blogspot.com/2017/03/defendendo-etica-hoppeana-resposta.html

Minha réplica:

“Rian busca justificar a negação da premissa hoppeana e, para isso, utilizada de argumentação, com o que comprova a premissa”

R: O fato de eu escolher argumentar, não comprova que o único modo de defender racionalmente uma posição ética é por argumentos. O que pode nos dizer somente é que a argumentação é, no máximo, um modo eficiente de defender racionalmente uma posição ética.

Eu fui bastante claro em afirmar que há uma diferença relevante entre o que podemos chamar aqui (e como gosto de nomear, por acreditar serem termos que ilustram bem essa distinção analítica), para ser ainda mais claro, de condições regulativas (as condições que podem ser usadas para melhorar e efetivar o processo, mas não são estritamente necessárias), para as condições constituintes (as estritamente necessárias para realizar o processo).

Meu argumento é baseado na afirmação de que, conquanto o fato de que a argumentação seja de fato racional, e a argumentação seja um modo efetivo (do ponto de vista puramente prático e instrumental; ou seja, condição regulativa) de defender uma posição, não se segue necessariamente a proposição de que toda posição para ser racionalmente defensável, precisa se utilizar da argumentação. Meu exemplo, no artigo passado, sobre imperativos e afirmações panfletárias, serviu apenas para ilustrar isso. 

O interlocutor tentou me acusar de incorrer numa contradição performativa. Entretanto, o único modo de cair numa contradição seria a seguinte: a de eu ter aceitado que o único modo de defender racionalmente uma posição ética é por argumentos. Então, depois de aceitar isso, defenderia alguma posição ética qualquer. Na defesa, eu usaria de imperativos ou proposições (não-argumentos, como já explicado) e reivindicaria estar defendendo racionalmente minha posição. Nesse caso, e somente neste caso, eu incorreria em uma contradição performativa.

Como meu argumento já se baseia nessa distinção, não há a contradição. Há uma grande diferença entre aceitar que a argumentação seja um modo efetivo de se engajar numa defesa racional, e entre aceitar que toda defesa racional é (ou deve se utilizar da) argumentação.

“Além disso, eu desconheço a tese de que justificações prescindam de argumentos”

R: Neste caso, eu recomendaria que você começasse pesquisando por tudo o que já foi escrito em epistemologia contemporânea. E vale aqui desenvolver, pois isso foi alvo de muita confusão: na premissa, justificar por argumentação e argumentar são equivalentes. Eu realizei um disclaimer técnico quando falo do conceito de justificação: uma coisa é a justificação, um conceito técnico da epistemologia; outra coisa é a argumentação. O termo “justificação” poderia ser abolido sem problema algum da premissa. O que disse é que, nos estudos de epistemologia contemporânea, justificação não tem a ver com argumentação em sentido estrito.

A justificação é relativa à formação das crenças de um sujeito, e isso pode ocorrer por diversas maneiras, não necessariamente por argumentação. Para um material introdutório, recomendo Roberto Audi (2004). Quis, por perfeccionismo técnico, mencionar essa questão técnica. Tanto a premissa quanto a minha objeção permanecem as mesmas, apesar desse disclaimer.

“Mais à frente, ele diz que é possível defender algo sem uso de argumentação, como ocorre no uso de panfletos”

R: Aqui há uma confusão clara com o que eu afirmei, uma confusão puramente semântica que levou a equívocos conceituais. Eu argumentei sobre “afirmações panfletárias’” e não sobre “panfletos impressos (EM PAPEL). Uma afirmação panfletária é uma proposição com pretensão de verdade, uma defesa afirmativa (“panfletária”) que não é encadeada de premissas ou proposições seguintes, e portanto, não pode ser caracterizada como um argumento (a definição certa do que é a afirmação panfletária, e que foi explicada acima, é bom ressaltar, está no meu próprio artigo que o crítico visa responder), no entanto, isso não a impede de ser usada como uma defesa a uma posição em uma determinada situação. E em nada muda-se o aspecto de ela também poder ser considerada racional (como ressaltei pontualmente no artigo, tanto no sentido que a filosofia geralmente emprega, que é o de “coerência/consciente” quanto no sentido empregado por Mises, que é o de “propositada”), constituindo-se assim uma defesa racionalmente justificável, ao mesmo tempo em que é não-argumentativa. O que é o exato contrário da primeira premissa da ética de Hoppe, que negava a existência de tal coisa, e minha objeção era justamente isto.    

Ocorre aqui uma troca do conceito por trás do termo, porque Hoppe usa o termo ‘defender’ no sentido de argumentar a favor e não no sentido de propagandear. Ademais, o processo que está em curso no exemplo dado pelo Rian não é um processo de argumentação, mas sim de persuasão, no qual vejo possibilidade de não se usarem textos proposicionais.

R: Isso é simplesmente um argumento circular partindo de uma suposta definição dos termos para Hoppe. A premissa de Hoppe nos diz, literalmente, que toda posição ética, para ser racionalmente defensável precisa ser justificada por argumentos, mas o interlocutor me diz que o que Hoppe quer dizer, é que toda posição ética para ser justificada por argumentos precisa ser racionalmente defendida. Qualquer um que tenha lido isto, percebe que não há diferença nenhuma nos argumentos. Meu interlocutor realizou uma tautologia vazia e não argumentou nada.

Em outras palavras: ele nos diz que Hoppe usa “defender” no sentido de “argumentar”. Se isso é verdade, então Hoppe diz que só se pode argumentar racionalmente se se argumentar. Qualquer um percebe a visível tautologia aqui. A estratégia do meu interlocutor, se chama “circulus in probando”. É fazer uma tautologia, algo que gira em círculos, partindo de uma redefinição com sinônimos para aparentar ser um argumento. Portanto, ao entender (muito mal) “defesa” como “argumentação”, está se confundindo os termos de Hoppe que estão muito bem distintos na premissa, e ainda está consequentemente se incorrendo em uma circularidade tautológica.

Sobre as afirmações acerca da segunda proposição:

Os argumentos acerca da minha objeção a segunda proposição de Hoppe, demonstram que o crítico não entendeu que a agressão, embora obviamente indesejável, é possibilidade lógica; e se for possibilidade lógica, não dá para tomar o seu contrário (a não-agressão) como a priori argumentativo.

Meu crítico é só um pouco prolixo para confundir o que é condição regulativa de debate com o que é requisito formal de uma argumentação estrita. Novamente aparece aqui a distinção entre o que podemos chamar de condições regulativas (ou “condição teleológica” se preferir um outro termo mais claro) e condições constituintes (ou “requisito formal” se preferir). Há uma confusão sobre essas duas condições, e a partir disto, a linha argumentativa dele necessariamente se segue de um non sequitur.

E mesmo que se se aceitasse a segunda premissa, ou seja, que se eu aceitasse que a condição regulativa  é condição formal da argumentação, ainda assim, a primeira premissa se manteria falsa. Ela não se altera por causa disso, pois simplesmente há um desconhecimento do meu interlocutor acerca do que é possibilidade lógica. Se estamos falando das condições a priori para toda argumentação possível, então tem que ter em vista o que possibilita toda argumentação possível, e não simplesmente a argumentação em um debate argumentativo. A argumentação não ocorre somente numa troca entre interlocutores. O sujeito pode buscar a verdade, mas impedir o outro de buscá-la, e isso de modo algum invalida sua própria argumentação.

As condições formais de uma argumentação podem ser cumpridas, como possibilidades lógicas, concomitantemente à censura do opositor ou à agressão do mesmo. Do fato de que isso seja logicamente possível, ao menos em algum grau, se prova que transformar a não-agressão em condição constituinte da argumentação é um erro; essa condição, ainda que desejável, sempre vai ser posterior à própria argumentação, e por ser posterior à argumentação é que não vai ser uma condição da sua possibilidade, e não sendo condição de sua possibilidade, não vai ser a priori da argumentação.

Não importa insistir em algo que seja desejável, meramente  uma condição regulativa, se estamos tratando do meramente formal e argumentativo, ou seja, de uma condição constituinte, formalmente (pragmático-transcendental, segundo Apel) necessária para a atividade da argumentação, de forma individualizada. A “dialogicidade” (condição regulativa) não é condição constituinte da argumentação.

“O argumento de Hoppe não visa a provar a existência da propriedade, porque esta é, de fato, um dado inextirpável da realidade social. O que Hoppe pretende é justificar o direito de propriedade privada, ou seja, o dever de respeitar a propriedade do sujeito que a apropriou originalmente ou por contrato, que é algo totalmente diferente da questão de se a propriedade existe. É inconcebível vida humana em sociedade sem a instituição da propriedade, uma vez que alguém precisa decidir sobre o uso dos recursos, e propriedade quer dizer uso exclusivo. Alguém, é claro, tem que decidir sobre como se utilizarão os recursos. Pode ser um soberano decidindo sobre todas as propriedades ou então um grupo decidindo sobre algumas propriedades, e assim por diante, com infinitas possibilidades. A tese austrolibertária é a de que a única posição sustentável quanto a esse problema da Filosofia Política é a de que apenas o proprietário original (e aquele que adquiriu a propriedade por meio de contrato) pode decidir sobre sua propriedade (a questão de como alguém passa a ser dono de algo não está em debate aqui).”

R: A propriedade só pode existir dentro de um dado conjunto de uma superestrutura que, em primeiro lugar, possa a legitimar (e obviamente, que esta superestrutura seja de alguma forma “legítima”). Em outras palavras, um ordenamento jurídico válido. A concepção jusnaturalista teológica, por exemplo, atribui isso a uma concepção divina (a “superestrutura”, neste caso, seria Deus enquanto uma norma de tipo “originária”), enquanto o juspositivismo de Kelsen, por exemplo, pode atribuir isto ao pressuposto lógico-transcendental da Grundnorm, que serve como o fundamento normativo final deste ordenamento jurídico.

Qualquer que seja o fundamento, a propriedade sempre depende de um ordenamento jurídico legítimo que seja anterior. Antes disso, é tão somente posse física, o uso, destituído de qualquer valor ou qualquer “dever-ser”. Pode-se pensar em até mesmo agrupados sociais, por exemplo: sociedades muito primitivas, que não tem qualquer superestrutura ou ordenamento jurídico que nos permita delimitar a normatividade da categoria da propriedade. Nesse caso, seria tão somente a posse em todos os casos. Isso prova que, ao contrário do que o crítico argumenta, a propriedade não é um fato inextirpável da realidade social. Ela é fruto, tecnicamente falando, das determinações jurídicas que a sociedade atribui à posse fática, na qual através disto, adquire esta a qualidade mencionada, ou seja, a qualidade de propriedade.

Acontece que essas determinações não são condições constituintes para a realidade social. Elas não são, epistemologicamente, fruto inerente ou dados inextirpáveis da realidade social. São, na visão mais pessimista, meras convenções sociais, mas que para fins pragmáticos e também epistemológicos quanto a isto, não são constituintes ou inextirpáveis. O que se segue disto (a delimitação de propriedade), neste caso, também não seria. Somente a categoria fática, empírica, da posse, que se difere da categoria normativa da propriedade. Portanto, é falsa a afirmação do crítico.        

Em seguida, o crítico coloca uma citação de Ludwig Von Mises para combater a noção monista. Ele basicamente diz que:

“A razão e a experiência nos mostram dois mundos diferentes: o mundo exterior dos fenômenos físicos, químicos e fisiológicos e o mundo interior do pensamento, do sentimento, do julgamento de valor e da ação propositada. Até onde sabemos hoje, nenhuma ponte liga esses dois mundo.”

Há não só uma ponte, como estes são ligados, embora não se reduzam na mesma coisa (no sentido de que um não pode ser reduzido ao outro de maneira determinística; isso não significa no entanto, que a “mente” por exemplo, é algo mais que o “cérebro”, mas tão somente que essa redução não pode ser, ainda, epistemologicamente realizada).

Na área da filosofia da mente, o maior expoente e prova desta ideia, foi o monismo anômalo do filósofo Donald Davidson (1917-2003). O que ele nos mostra, é que conquanto seja epistemologicamente realmente impossível reduzir fenômenos mentais aos fenômenos neurofisiológicos, há uma identificação entre os dois fenômenos, de tal forma que eles podem ser considerados como equivalentes idênticos (isto é, para todo fenômeno X de ordem neurofisiológica, equivalerá o fenômeno Y de ordem mental). Considero o monismo anômalo a posição mais forte da filosofia da mente atual, e uma refutação a posição de Mises de que não há “pontes que ligam esses mundos” e sua consequente adesão a esse tipo de dualismo. 

Como o meu argumento provando ontologicamente e cabalmente o monismo, e a rejeição a toda forma de dualismo a partir deste, não foi respondido, segue-se que o meu maior ataque continua de pé e não chegou sequer perto de ser respondido pelo meu caro crítico.

“A propriedade realmente pressupõe a existência dessas categorias, mas a autopropriedade não caracteriza um paradoxo. Propriedade quer dizer controle exclusivo, e com efeito apenas o indivíduo pode controlar seu corpo, exclusivamente.”

R: Controle exclusivo implica em posse. Propriedade, como já explicado acima, é normativo. Em seguida, está se dando um exemplo de autocontrole, não de autopropriedade. Propriedade é normativo, lembre-se disso. Há aqui o famoso erro de categoria, da qual Kant já se referia. O controle exclusivo (e seu status empírico), não pode epistemologicamente ser confundido com a categoria normativa de propriedade. O controle exclusivo do seu próprio corpo pode ser um tipo de autocontrole, no sentido de que apenas o indivíduo controla o próprio corpo (vamos ignorar os argumentos neurocientíficos quanto a isto, por enquanto), mas isso tem um status empírico que não se confunde com a categoria da normatividade da propriedade (isto é, não o controle, mas sim o direito a isto).

“O sujeito é um ser físico e espiritual, ou seja, é corpo e mente. Ele é proprietário de si mesmo, ele controla exclusivamente a si mesmo”

R: As duas primeiras coisas citadas dizem respeito a modos diferentes da mesma substância, não sujeitos diferentes desempenhando papéis diferentes. Em seguida, continua se dando um outro exemplo de autocontrole. Isso não é autopropriedade.

“Não há, aqui, problema algum, a meu entender.
Uma parte do organismo que seja retirada já não faz mais parte desse organismo e poderia sim ser objeto de comércio. Aqui também não enxergo dificuldades teóricas”

R: Como isso comprova a autopropriedade? Acabou-se de admitir que não faz mais parte do organismo. Isso já havia sido respondido.

Na verdade, o que acontece a partir deste ponto no texto, é só resultado do erro de categoria inferido anteriormente, já denunciado acima. O resto do texto do crítico gira em torno de erros causados por este equívoco de categoria, fruto de um salto lógico.

Meu crítico fala que há um problema em falar do dualismo da forma que enxergo, e que a autopropriedade estaria provada pois há uma impossibilidade de haver um controle simultaneamente sobre o mesmo corpo. Mas neste caso, ele não percebe que está falando de autocontrole, e depois reivindica o status de propriedade, que é algo normativo. O autocontrole é um fato, propriedade é uma norma.

Meu crítico insere um conceito normativo [propriedade] em uma análise factual [controle]. Só você pode controlar seu corpo (vamos ignorar, por enquanto, os argumentos neurocientíficos contra isso, como eu já disse), mas isso é simplesmente um fato empírico. Isso não tem qualquer status epistemológico que nos permita inferir normatividade.

Mesmo se se quisesse chamar o fato de só você controlar exclusivamente o recurso escasso do seu próprio corpo de “propriedade” além de ser algo completamente anti-lógico e anti-kantiano, fica muito mais fácil de responder: se propriedade é meramente o autocontrole exclusivo (sem legitimidade, i.e., o componente normativo), então você está me dando uma ética descritiva. No entanto, está se querendo estabelecer isso por meio da argumentação, que já é uma prática no campo do normativo necessariamente, criando uma ilogicidade: pois não há ligação que une o campo descritivo do que se está chamado de propriedade, com o campo normativo da argumentação, e toda a ética argumentativa desmorona junto. Porém, se tentar se dizer que propriedade, no entanto é descritivo (e não é, por fatores óbvios, mas vamos prosseguir), você está necessariamente confundindo com posse, e logo a ética implode em relativismo de qualquer forma.

O resto do texto, frente a isso, torna-se irrelevante de comentar, haja vista que o que se segue dele está baseado nesse pressuposto, que como demonstrado, está errado, e com ele, os argumentos posteriores frutos deste, também. Frente a isso, torna-se inclusive impossível prosseguir, pois o que se segue é puro fruto de incongruência, e tenho por finalizado minha argumentação.

Este post tem 62 comentários

  1. 771563 257718Is going to be back frequently in order to check up on new posts 807588

  2. O extrato de chá verde atua aumentando
    a atividade da norepinefrina que é um hormônio que ajuda na queima
    de gordura. https://Bit.ly/100-peso

  3. I loved as much as you’ll receive carried out right here.
    The sketch is attractive, your authored subject matter stylish.
    nonetheless, you command get bought an shakiness over that you wish be
    delivering the following. unwell unquestionably come more formerly again as exactly the same nearly a lot often inside
    case you shield this hike.

  4. Whoa! This blog looks exactly like my old one!
    It’s on a entirely different topic but it has pretty much the
    same page layout and design. Outstanding choice of colors!

  5. Hurrah! Finally I got a blog from where I know how to actually get helpful data regarding my study and knowledge.

  6. Hey just wanted to give you a brief heads
    up and let you know a few of the images aren’t loading properly.
    I’m not sure why but I think its a linking issue. I’ve tried it
    in two different internet browsers and both show the same
    outcome.

  7. It’s really a great and helpful piece of info.
    I’m happy that you shared this useful info with us. Please
    stay us up to date like this. Thanks for sharing.

  8. Aw, this was a very good post. Spending some time and actual effort to create a top notch article… but what can I say… I put things off a lot and
    don’t manage to get nearly anything done.

  9. I am not sure where you’re getting your info, but good topic.
    I needs to spend some time learning more or understanding more.
    Thanks for wonderful information I was looking for this information for my mission.

  10. Pretty component of content. I just stumbled upon your website and in accession capital to
    assert that I get in fact enjoyed account your blog posts.
    Any way I’ll be subscribing in your augment and even I achievement you get admission to constantly
    fast.

  11. I seriously love your website.. Very nice colors & theme.
    Did you develop this site yourself? Please reply back as I’m
    attempting to create my own site and want to find out where you got this
    from or just what the theme is named. Thanks!

  12. I’m really loving the theme/design of your website.
    Do you ever run into any web browser compatibility issues?
    A handful of my blog audience have complained about my site not operating correctly in Explorer but looks great
    in Firefox. Do you have any recommendations
    to help fix this problem?

  13. Outstanding post but I was wanting to know if you could write a
    litte more on this topic? I’d be very grateful if you could elaborate a little bit further.
    Thanks!

  14. No matter if some one searches for his required thing, so he/she desires to be available
    that in detail, thus that thing is maintained over here.

  15. Thanks for the good writeup. It in fact used to be a leisure account it.

    Glance complex to more delivered agreeable from you! By the way, how can we keep in touch?

  16. It’s remarkable in support of me to have a web page,
    which is valuable in favor of my knowledge. thanks admin

  17. Heya i am for the first time here. I came across this board and I find It truly useful & it helped me out a lot.
    I hope to give something back and help others like you aided me.

  18. This is my first time go to see at here and i am genuinely impressed
    to read everthing at single place.

  19. I’m impressed, I must say. Rarely do I come across a blog that’s equally educative and entertaining, and without a doubt, you have
    hit the nail on the head. The problem is something that too few men and women are speaking intelligently about.
    I’m very happy I came across this during my hunt for something concerning this.

  20. Very great post. I just stumbled upon your blog and wished to say that
    I have really enjoyed surfing around your weblog posts.
    In any case I’ll be subscribing to your rss feed and I’m hoping you write again soon!

  21. I was suggested this web site by my cousin.
    I’m not sure whether this post is written by him as nobody else know such detailed about
    my difficulty. You are incredible! Thanks!

  22. Pretty component of content. I just stumbled upon your site and in accession capital to claim
    that I get in fact loved account your blog posts.

    Any way I’ll be subscribing for your feeds and even I fulfillment
    you get right of entry to persistently fast.

  23. I was curious if you ever considered changing the structure of your website?

    Its very well written; I love what youve got to say.
    But maybe you could a little more in the way of content so people could connect with it better.
    Youve got an awful lot of text for only having
    1 or two images. Maybe you could space it out
    better?

  24. Hi, i read your blog occasionally and i own a similar one and i was just curious if you get a lot of spam feedback?

    If so how do you prevent it, any plugin or anything you can suggest?
    I get so much lately it’s driving me mad so any help is very much appreciated.

  25. I do believe all of the ideas you have offered on your
    post. They are very convincing and can definitely work. Nonetheless, the posts are too quick for starters.
    May just you please prolong them a little from
    subsequent time? Thank you for the post.

  26. Quality content is the crucial to invite the people to
    go to see the web site, that’s what this site is providing.

  27. I constantly spent my half an hour to read this website’s articles or reviews everyday along with a cup
    of coffee.

  28. Hi, I do believe this is an excellent web site. I stumbledupon it 😉 I am going to revisit once again since i have
    saved as a favorite it. Money and freedom is the greatest
    way to change, may you be rich and continue to help others.

  29. Every weekend i used to pay a visit this website, as i want enjoyment, since this this web site conations actually pleasant funny stuff too.

  30. I have been exploring for a little bit for any high quality
    articles or blog posts in this sort of space . Exploring in Yahoo I
    at last stumbled upon this site. Studying this information So i’m satisfied to exhibit that I have
    an incredibly excellent uncanny feeling I found out just what
    I needed. I such a lot undoubtedly will make sure to don?t omit this
    web site and provides it a look regularly.

  31. Hi there! I’m at work surfing around your blog from my new
    iphone 4! Just wanted to say I love reading your blog and look forward to all your posts!

    Keep up the fantastic work!

  32. Hello friends, fastidious paragraph and fastidious urging commented at
    this place, I am in fact enjoying by these.

  33. I really like what you guys are usually up too. This sort of clever work and coverage!
    Keep up the amazing works guys I’ve included you guys
    to my personal blogroll.

  34. Hmm it looks like your blog ate my first comment (it was extremely long)
    so I guess I’ll just sum it up what I wrote and say, I’m thoroughly enjoying
    your blog. I as well am an aspiring blog writer but I’m
    still new to the whole thing. Do you have any suggestions for inexperienced
    blog writers? I’d definitely appreciate it.

  35. Oh my goodness! Impressive article dude! Many thanks, However I am going
    through issues with your RSS. I don’t understand the reason why I can’t join it.

    Is there anybody else having identical RSS issues?
    Anyone that knows the solution will you kindly respond? Thanx!!

  36. What’s up colleagues, its impressive article regarding cultureand fully defined, keep
    it up all the time.

  37. Magnificent goods from you, man. I have understand your stuff previous to
    and you are just extremely magnificent. I really like what you’ve acquired here, certainly like what you’re stating and the way in which you say it.
    You make it enjoyable and you still care for to keep it
    sensible. I cant wait to read much more from you.

    This is actually a wonderful web site.

  38. Great goods from you, man. I have take into account your stuff previous
    to and you’re simply too magnificent. I really like what you’ve obtained here, really like what you’re stating and the way in which by which you say it.

    You are making it enjoyable and you continue to care for
    to keep it smart. I can not wait to read much more from
    you. This is actually a terrific site.

  39. Wow, amazing weblog structure! How lengthy have you ever been running a blog
    for? you made running a blog glance easy. The whole glance of your web site is fantastic,
    as neatly as the content!

  40. If you desire to increase your knowledge only keep visiting this site and be updated with the newest gossip posted here.

  41. Attractive section of content. I just stumbled upon your site
    and in accession capital to assert that I acquire in fact enjoyed account your blog posts.
    Anyway I will be subscribing to your augment and even I achievement
    you access consistently rapidly.

  42. This site was… how do you say it? Relevant!!

    Finally I’ve found something which helped me.
    Kudos!

  43. Wow, this paragraph is good, my sister is analyzing these kinds of things, thus I am
    going to convey her.

  44. Howdy are using WordPress for your blog platform? I’m new to the blog world but I’m trying to get started and create my
    own. Do you require any coding expertise to make
    your own blog? Any help would be really appreciated!

    Feel free to visit my homepage … http://soliderix.net/

  45. Do you mind if I quote a couple of your posts as long
    as I provide credit and sources back to your site?
    My blog is in the very same niche as yours and my visitors would genuinely benefit from some of the information you provide here.
    Please let me know if this okay with you. Regards!

    Also visit my page: Soliderix Pills

  46. Thank you for the auspicious writeup. It in fact was a amusement account
    it. Look advanced to far added agreeable from you!

    By the way, how can we communicate?

    Visit my page – KetoYou Reviews

  47. I really wanted to make a simple word to be able to thank you for some of the stunning
    tips you are sharing at this site. My time consuming internet
    lookup has at the end of the day been rewarded with beneficial insight to talk
    about with my friends and family. I ‘d claim that many of
    us site visitors are extremely fortunate to dwell in a remarkable website with
    so many marvellous professionals with good tips. I feel really privileged to have used your web
    pages and look forward to some more exciting minutes reading here.
    Thank you once more for everything.

    Check out my web site: https://solohostbook.com/index.php/blog/33255/what-is-ketogenic-staying-on-a-diet/

  48. I’m amazed, I have to admit. Seldom do I come across a blog
    that’s equally educative and engaging, and let me tell you,
    you have hit the nail on the head. The issue is something that too few people are speaking intelligently about.
    Now i’m very happy I came across this during my
    search for something concerning this.

    my web blog: https://ketoyou.net/

  49. An interesting discussion is definitely worth comment.
    I believe that you should write more on this subject
    matter, it might not be a taboo subject but usually people do not discuss these topics.

    To the next! Best wishes!!

    Take a look at my homepage: Vigor Testo Reviews

  50. It’s very simple to find out any topic on web as compared to textbooks, as I found this piece
    of writing at this web page.

    Look at my web page; Peak Summit Keto

  51. This is really interesting, You are a very skilled blogger.

    I’ve joined your feed and look forward to seeking more of your fantastic post.
    Also, I’ve shared your web site in my social networks!

    My web-site Testoryl Pills

  52. I just like the valuable information you supply in your articles.
    I’ll bookmark your weblog and check once more right
    here frequently. I am quite sure I’ll be informed many
    new stuff proper right here! Best of luck for the next!

  53. Ótimo texto

  54. Desculpe-me, não é uma acusação minha e é mera curiosidade. A mensagem do João foi “Intriga-me profundamente esse novo empreendimento do Nairus, porque, há pouco tempo atrás, ano passado mesmo, ele se declarava abertamente nacional-socialista e bastante anticomunista. Agora está se dizendo socialista ao estilo marxista e atacando especificamente as teses da Escola Austríaca.”

  55. Mas o Rian já não é marxista há muito tempo. E Hoppe está longe de ser as “bases da Escola Austríaca”.

  56. Sei que foge totalmente a questão, mas poderia comentar sobre a acusaçao de você ser marxista e estar atacando as basea da escola austríaca por pirraça?

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Top